Brasil reduziu o índice de informalidade no trabalho entre jovens e adolescentes

Um relatório intitulado "trabalho digno e juventude na América Latina: Políticas de ação", publicado na quinta-feira (Fev. 13) pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), mostra uma diminuição no número de empregos informais entre os jovens no Brasil – de 52,6% em 2007 para 41,6% em 2011. O documento mostra que fatores socioeconômicos e políticas públicas são responsáveis pelo aumento do emprego formal no mercado de trabalho Brasileiro.

O inquérito indica ainda que a probabilidade de desemprego entre os jovens no país se manteve estável – cerca de 20%, enquanto a taxa geral é de 7%.

De acordo com a OIT, as políticas econômico nacional têm estimulado a procura de mais trabalhadores em posições formais, enquanto as mudanças demográficas e as taxas de abandono escolar mais baixa dos jovens têm contribuído para reduzir a oferta de jovens trabalhadores para o mercado de trabalho. Mudanças na lei também promoveram uma maior formalização.

A OIT afirma que, no que se refere ao emprego dos jovens, devem ser tomadas medidas especialmente concebidas para satisfazer as necessidades desta parte da população. O relatório da OIT salienta que não existe uma receita única e que a situação é diferente em cada país, mas podem ser adaptados exemplos de experiências inovadoras.

Algumas destas experiências apontam para melhorias e expansões nos programas de formação como um meio para facilitar a transição entre a escola e a vida profissional. O seu objectivo é tornar os jovens mais qualificados na procura de emprego, para que possam satisfazer as necessidades do mercado.  Além disso, também devem ser apoiados programas destinados a ajudar os jovens através de processos burocráticos.

"Nos últimos anos, adquirimos muita experiência em como enfrentar os obstáculos que os jovens tropeçam quando entram no mercado de trabalho. O desafio consiste em pô-lo em prática, ampliar sua aplicação, tanto geográfica quanto temporalmente, e melhorar seu planejamento para que ele se torne eficiente", disse o Coordenador Regional da OIT para o emprego de jovens Guillermo Dema.